Paraibano

Futebol

Mais Esportes

Latest Post



Goleada para amenizar a crise. Em jogo com polêmicas de arbitragem e atuação de gala do estreante Tomás Andrade, o Atlético contou com gols nas retas finais dos dois tempos para vencer o América por 3 a 0, no Independência, em Belo Horizonte. Róger Guedes, Norberto (contra) e Ricardo Oliveira marcaram no triunfo alvinegro em partida disputada neste domingo, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

O primeiro tempo foi equilibrado. O América começou melhor, mas perdeu o domínio do jogo na segunda metade da etapa inicial. Após linha de passe de cabeça, Róger Guedes completou para o gol - ao menos segundo a interpretação da arbitragem - e abriu o placar para o Atlético.

O segundo tempo reservou outra polêmica de arbitragem. Atrás da linha do gol, Gabriel tentou afastar a bola após cabeceio de Marquinhos. Entrou ou não? A resposta da arbitragem foi negativa - para mais reclamações dos jogadores do América. Apesar de ter menor posse, foi o Atlético que teve mais oportunidades. O time alvinegro contou com o brilho do estreante Tomás Andrade. O argentino entrou aos 38’ e criou as jogadas dos dois últimos gols.

A vitória faz o Atlético chegar à terceira posição, com 11 pontos - dois a menos que o vice-líder América. A equipe alvinegra volta a campo nesta quarta-feira, às 21h45, para uma decisão. O rival será o Botafogo-PB, no Almeidão, pela segunda fase da Copa do Brasil. O vencedor avança. O empate, por sua vez, leva a definição para os pênaltis.


Na tarde deste domingo (18), CSP e Campinense fizeram um jogo bastante morno no estádio Almeidão, pela oitava rodada do Campeonato Paraibano de 2018. A Raposa aproveitou as poucas oportunidades que teve e venceu por 2 a 0 sem dificuldades.

As duas equipes jogaram a primeira metade da partida em marcha lenta. Com pouca mobilidade no meio campo, o CSP tentava esticar bolas para Hélio Paraíba no ataque, mas que era facilmente neutralizado pelo trio de zagueiros rubro-negros.

O Campinense, por sua vez, tinha mais posse de bola, trabalhava com calma no meio campo, mas sempre que chegava próximo da meta adversária, fazia de tudo, menos chutar em gol.

Celso Teixeira, treinador da Raposa, ainda por volta dos 30 minutos, sacou Thiago Mandi e colocou Marcinho, buscando mais efetividade no meio campo. E deu certo.

Aos 48 minutos, Marcinho passou por dois marcadores e tocou para Rodrigo Silva, que recebeu na entrada da área, driblou Reydson e chutou de pé esquerdo no canto direito de Wallace para abrir o placar no Almeidão.

No segundo tempo, aos 11, Jean Carlo cruzou da esquerda e o zagueiro William Goiano subiu mais que todo mundo para cabecear com perigo. A bola saiu a direita da meta do Tigre.

A Raposa matou o jogo aos 33 minutos da segunda etapa. Marcinho apareceu mais uma vez e deu um passe caprichado para Tarcísio, que apareceu em velocidade, driblou Wallace e só escorou para mandar a bola para o fundo das redes e anotar o segundo gol rubro-negro.

Com a vitória, o Campinense chega aos 19 pontos, segue isolado na liderança do Grupo A. Na próxima rodada, a Raposa encara o Serrano, no Amigão. O CSP segue com 9 pontos na segunda posição no Grupo B. No domingo, o Tigre visita o Nacional de Patos.

Ficha técnica

CSP 0 x 2 Campinense
Campeonato Paraibano 2018 (8ª rodada)
Estádio: Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Renan Roberto; Josiel Ferreira e Gladson Francisco

Gols: Rodrigo Silva, Tarcísio (CC)
Cartões amarelos: Gilmar (CSP); Marcelo Silva, Jean Carlo (CC)

CSP: Wallace, Igor (Ênio), Reydson, Gilmar, Fábio (Rogério); Silvio, Matheus Guará, Henrique, Leandro; Carioca e Bruno Paraíba. Técnico: Léo Oliveira.

Campinense: Jeferson, William Goiano, Rafael Araújo, Rafael Jensen; Alex Murici, Felipe Macena, Marcelo Silva, Jean Carlo (Tarcísio), Thiago Potiguar, Thiago Mandi (Marcinho); Rodrigo Silva (Muller Fernandes). Técnico: Celso Teixeira.

Fonte: Voz da torcida



A promessa de um clássico de paz, no primeiro Ba-Vi do ano, não saiu do papel. No jogo que marcava o retorno da torcida mista, os jogadores de Bahia e Vitória não deram exemplo e protagonizaram cenas de pancadaria no Barradão. 

O placar, por incrível que pareça, ficou em segundo plano diante de um jogo com nove expulsos e que sequer acabou do jeito convencional. Quando o placar marcava 1 a 1, o Rubro-Negro ficou sem jogadores suficientes em campo e o árbitro encerrou o confronto. Pelo Regulamento Geral de Competições da CBF, o Bahia deve ser declarado vencedor pelo placar de 3 a 0.












A vitória por 1 a 0 sobre o Assu, literalmente, lavou a alma do ABC. Debaixo de forte chuva, o Alvinegro venceu e confirmou o título do 1º turno do Campeonato Potiguar. E a conquista tem um sabor especial para Ranielle Ribeiro, que levanta uma taça pela primeira vez como técnico. Mas o treinador abecedista valoriza o trabalho realizado com o grupo que, devido à Série B, fez com que o clube começasse a pré-temporada depois dos demais, o que, nas palavras do comandante, demonstra o quanto o plantel é qualificado e digno de todos os méritos.
                                                           
Título merecido. Os atletas se comprometeram, se dedicaram desde o dia 18 de dezembro, fomos a penúltima equipe a nos apresentarmos, onde valoriza ainda mais e potencializa o trabalho da comissão técnica, mas os louros e toda a dedicatória tem que ser aos atletas. Eles que resolvem tudo lá dentro, se comprometem, se dedicam, se aplicam e eu costumo falar que não existe treinador bom, existe grupo bom. E eu tenho um grupo bom. A dedicatória do título é toda aos atletas - celebrou o técnico.


Além de exaltar a qualidade do elenco que tem nas mãos, o técnico chegou a se emocionar durante a coletiva pós-jogo, ao falar sobre os funcionários do ABC e lembrar o momento delicado pelo qual o clube passou recentemente, destacando a união que permaneceu, mesmo em meio à crise. Ranielle também aproveitou para lembrar que o estadual ainda não acabou, apenas o Alvinegro garantiu a vaga na final com a conquista do turno.

Deus foi muito bom para mim, nessa mudança de função já me deu um ABC com uma potência para se ganhar. Conquistamos parte do campeonato, não é decisivo ainda. Pode nos dar uma situação de ganhar direto ou estar em uma final. Estamos sempre preparados para a pressão, estão todos preparados para colher mais frutos. Fizemos metade do processo, parte do planejamento foi cumprido. É brigar de igual para igual nesse segundo turno - finalizou.



A partida estava marcada para as 16h, mas só começou 20 minutos depois por falta de médico na ambulância. Após a chegada do médico, a partida foi iniciada e o que se viu foi um Serrano com dificuldades diante do lanterna do campeonato, o Auto Esporte. E foram justamente os alvirrubros que abriram o placar com Raimundinho, aproveitando rebote aos 25 minutos. Os automobilistas seguiram pressionando, mas desperdiçando muitas chances.

No segundo tempo, porém, apenas 9 minutos de bola rolando. Ainda assim, deu tempo de o Serrano empatar o jogo. Rafael Ibiapino, cobrando pênalti aos 7 minutos da etapa final, deixou tudo igual no placar. Depois do gol, o juiz percebeu a ausência do médico e paralisou o jogo.

Fonte: João da Paz. 




Botafogo-PB e Altos-PI entraram em campo na noite desta quinta-feira (15), pela terceira rodada do Grupo C da Copa do Nordeste. Em um jogo apático no primeiro tempo e eletrizante no segundo, um gol lindo de Dico garantiu mais uma vitória botafoguense no torneio, no qual segue com 100% de aproveitamento e na ponta da tabela e quase garantido no mata-mata.

Com folga na liderança do grupo do Nordestão, tendo um clássico contra o Treze no fim de semana pelo Paraibano e uma decisão contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil, no meio da próxima semana, o treinador Leston Júnior poupou alguns titulares e aproveitou para mudar o modo do seu time jogar.

Com Carlos Renato na esquerda, Alan Dias na direita e Marcos Aurélio e Nando mais centralizados, formou-se praticamente uma linha de quatro atacantes, com Humberto e Rafael Jataí apenas no meio campo.

E não deu certo. O time tinha dificuldades para criar, lentidão nas transições e não conseguia envolver o adversário, que encontrava espaços na defesa botafoguense, mas não conseguia criar muito perigo.

23 minutos, Carlos Renato tentou tabelar com Fábio Alves, mas a bola bateu na defesa e sobrou para Marcos Aurélio, que dominou na entrada da área e bateu de pé esquerdo, para Gideão defender em dois tempos.

O time piauiense chegou a ter um gol anulado. Manoel recebeu nas costas de André Santos, mas dominou com a mão antes de jogar a bola nas redes de Edson, mas o árbitro invalidou o lance.

A torcida do Belo passou a vaiar Humberto, muito mal no primeiro tempo, e pediu a entrada de Dico ainda antes do intervalo. E o treinador atendeu ao pedido da arquibancada.

Segundo tempo

O Belo voltou para o segundo tempo incendiado pela entrada de Dico, que recebeu na intermediária pela esquerda, invadiu a área e bateu para o gol. A bola explodiu na defesa e sobrou para Marcos Aurélio, que deu um carrinho, mas o goleiro Gideão trabalhou pela primeira vez no jogo e fez uma grande defesa e evitou a abertura do placar.

Aos 8 minutos, outra blitz. Nando recebeu bom passe de Marcos Aurélio e bateu para o gol, Gideão espalmou, Marcos Aurélio tentou um bonito voleio da entrada da área no rebote, mas o zagueiro Leone conseguiu meter a cabeça na pelota para evitar o gol.

E só dava Botafogo-PB. Aos 12, Carlos Renato cruzou da esquerda para a entrada da área, onde Marcos Aurélio mais uma vez acertou um voleio de perna direita e Gideão espalmou para escanteio.

Aos 20, o camisa 10 apareceu de novo assustando o arqueiro piauiense. Marcos Aurélio avançou com a bola no meio campo e, da intermediária, soltou um foguete em direção ao gol, e a bola passou com muito perigo perto do travessão.

De tanto insistir, o Belo chegou ao gol. E que gol. Dico recebeu na esquerda, passou por toda defesa do Altos-PI, cortou para o meio e bateu colocado, no ângulo esquerdo de Gideão para explodir a torcida botafoguense no chuvoso Almeidão.

A resposta do Jacaré veio aos 33 minutos. Dudu cobrou falta da intermediária e levou muito perigo à Edson, passando rente ao travessão. O arqueiro do Belo só pode olhar.

A vitória do Belo mantém o time invicto na temporada e 100% na Copa do Nordeste. O time lidera o Grupo A com 9 pontos. O Bahia, vice-líder, tem 3. No fim de semana, pelo Paraibano, o Botafogo-PB disputa o Clássico Tradição com o Treze, no domingo (18), às 19h, em Campina Grande.

Ficha técnica

Botafogo-PB 1 x 0 Altos-PI
Copa do Nordeste 2018 (Grupo C – 3ª rodada)
Estádio: Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Ranilton Oliveira Souza; Ivanildo Gonçalves da Silva e Djavan Costa da Silva

Gols: Dico (B)
Cartões amarelos: Joelson, Dos Santos, Vagner (A)

Botafogo-PB: Edson, Felipe Cordeiro, André Santos (Walber), Lula, Fábio Alves; Rafael Jataí, Humberto (Dico), Allan Dias, Marcos Aurélio (Hiroshi), Carlos Renato; Nando. Técnico: Leston Júnior.

Altos-PI: Gideão, Vagner, Leone, Everton, Jefferson; Marconi (Jean), Américo, Dos Santos, Esquerdinha; Manoel, Joelson. Técnico: Waldemar Lemos.

Fonte: Vozdatorcida



Ele falou  nesta segunda-feira de carnaval, quebrando o silêncio. Para explicar e falou sobre saída do Auto Esporte, revelando que entregou o cargo desde sexta-feira.

“Procurei a diretoria do Auto Esporte na sexta-feira e entreguei o cargo. No sábado alguns dirigentes estiveram na minha casa, tentando reverter minha decisão. Eles prometeram contratar reforços, com o objetivo de me convencer a continuar, mas eu já tinha decidido a voltar para o Botafogo, onde tenho contrato”, disse Ramiro Sousa que estava emprestado ao Auto Esporte.

Para justificar sua saída, Ramiro afirmou que quando aceitou ir comandar o Auto Esporte condiciou a contratação de reforços, mas a diretoria automobilista, segundo ele, não cumpriu.

“Eu queria contar com estes jogadores a partir do momento que cheguei, mas foram passando os dias e os jogadores, prometidos pelos dirigentes, não apareceram. Ficou complicado e, por isso, na sexta-feira, resolvi retornar para o Botafogo, mas antes falei com a diretoria do Auto Esporte.

Ramiro Sousa comandou o time do Auto Esporte em três jogos, no Campeonato Paraibano. Nas derrotas para o CSP por 2 a 1, no estádio Almeidão, em Joao Pessoa e Treze por 1 a 0, no estádio Carneirão, em Cruz do Espirito Santo e o empate de zero a zero com a Desportiva Guarabira, no estádio Silvio Porto, em Guarabira.

Antes, comandado por Maia, que continuou como assistente técnico de Ramiro e deve voltar a comandar o time, o Auto Esporte perdera cinco jogos pelo estadual: Treze (2×1), Serrano (2×1), Desportiva Guarabira (1×0), Atlético (2×1).

Fonte; so esporte

Veja Também